5 de maio de 2011

#tapacura!

Eu ia começar hoje a relatar minha viagem aqui no blog, mas ocorreu um “parem as prensas” e, em cima da hora, tive que mudar o assunto.
Gente... o que foi isso que aconteceu em Recife hoje?
Como assim “#tapacura” foi parar nos TT´s do twitter hoje à tarde?
Kkkkk

Tudo começou...

Quando fui trabalhar hoje, ao passar ao lado do rio Capibaribe, ali por trás do Shopping Plaza, realmente me chamou atenção como o nível do rio estava alto e como a correnteza estava forte. Mas eu já tinha ouvido, desde ontem, que as comportas da barragem de Carpina tinham sido abertas pra escoar a água das chuvas...e achei normal o rio estar mais cheio. Afinal, nem tava chovendo... tava até fazendo sol. Nenhum motivo aparente de preocupação.

Já no trabalho, li vários emails com piadinhas de “Raincife”, tipo:
- "Depois do Airbag, os coletes salva vidas são os opcionais mais importantes nos carros do Recife" ou
- "A Dilma está lançando o BALSA-familia aqui no Recife".

...e recebi um mail com uma foto tirada no shopping Plaza, mostrando que o canal na frente dele tinha transbordado, com a maré cheia da manhã.
http://twitpic.com/4tr8k8
Como eu tinha acabado de passar por ali, não achei nada assustador...
De repente, lá pelas 16h, a contínua do meu andar veio com uma cara um pouco assustada me perguntar:
 - É verdade que “a barragem de Tapacurá vai estourar”?
- Ahn? Claro que não. O rio tá mais cheio porque abriram as comportas, mas claro que não vai estourar nada (eu trabalho no centro e dá pra ver o rio da janela lá da sala).
- É porque liberaram todos pra irem pra casa mais cedo! Por causa do alagamento que vai acontecer.
- Oi?
O.O

--> Sim, o rio Capibaribe corta toda a cidade. Ou você mora, ou você trabalha, ou você passa por ele em algum momento do dia (a não ser que você viva em Boa Viagem e não frequente os outros bairros da cidade ... mas lá também tem seus rios e suas águas por todos os lados).

E meu colega, que eu ia voltar de carona, entra logo depois na sala e diz: "Vamos embora pois to preocupado com o nível do rio!" (o que achei até justificável uma vez que ele mora numa casa no Poço da Panela, bem perto do rio e o rio estava "alto"). 
Quando cheguei em casa, o porteiro do prédio fez a mesma pergunta: "Tapacurá vai estourar?"
E ao entrar no meu apê, meu celular toca e é minha prima: "Diga o que é verdade e o que é boato... to presa no trânsito e meu filho ligou em pânico!" (ela também mora numa casa na beira do rio)... e de repente... de boato em boato...

As notícias eram: 
O shopping Plaza acabou de fechar as lojas e mandar todos pra casa.
"Tapacurá vai estourar".
As faculdades cancelaram as aulas noturnas. 
"Tapacurá vai estourar".
Os colégios suspenderam as aulas e estavam ligando para os pais irem buscar os filhos imediatamente.
"Tapacurá vai estourar".
E... do “nada”... se você não fosse pra um lugar alto e seguro, morreria afogada pelas águas assassinas do Rio Capibaribe, vindas do estouro da Barragem de Tapacurá. 
Todos entraram em seus carros, procurando uma rota de fuga, e o trânsito da cidade, que já é caótico em dias normais, literalmente "travou".

E Tapacurá foi parar nos TT´s.
Sei não viu...
Fico imaginando as pessoas "de fora" tentando descobrir o significado de Tapacurá. :)

Tapacurá é uma barragem construída no Rio Tapacurá (aqui pertinho em São Lourenço da Mata) e que juntamente com as barragens de Goitá (em Glória do Goitá), Carpina e Jucazinho (entre Toritama e Surubim) fazem parte do sistema de controle de cheias da Região Metropolitana do Recife e são utilizadas também para o abastecimento da população.

Vocês sabem, né...
Recife é uma grande lagoa onde, na época de seca, se constroem prédios, casas e ruas.
(tenho certeza que a rua que minha mãe mora é, originalmente, um leito de rio... certeza!!!)

E, para os recifenses, Tapacurá significa também “Cheia”.
Aliás, o estouro de Tapacurá significa “morreremos todos afogados”. 
Mesmo com toda a tecnologia, informação e esclarecimento que, hoje, boa parte da população “allegedly” possui.
Leiam a história aqui: "Tapacurá Estourou!"

Imagens da "Cheia de 75", em Recife: 
Ilha do Retiro, 19 de julho de 1975. Registro do arquivo fotográfico do Diario de Pernambuco.
Estádio do Arruda, 1975.

Estrada dos Remédios. Década de 70.

E daí, juntou a história de Tapacurá (Cheia de 1975) + a previsão de muita chuva pro final do dia + a abertura das comportas das barragens para o escoamento da água das chuvas (que caíram nos últimos dias por aqui) + a maré alta de 2.3 que ocorreria no final da tarde + a internet + um monte de gente “doida que acredita em tudo que lê/ouve/se desespera/repassa” e pronto:

Foi necessário o Governador do Estado ter que dar uma entrevista coletiva pelo rádio (toda a cidade estava dentro dos carros, presa no trânsito – não adiantava falar pela TV – kkkk) para desmentir o boato e acalmar a população.

E assim, por incrível que pareça, 36 anos depois, um novo capítulo da história “Tapacurá Estourou!” foi escrito hoje no Recife.

E a chuva nem caiu, a barragem nem estourou e a inundação nem aconteceu.

2 comentários:

Robilob Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare